segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A Hora e a Vez dos Trabalhos Acadêmicos

Pois bem, os quadrinhos, mais uma vez!
Primeiramente, uma comemoração: na 21ª HQ Mix, que aconteceu no dia 21 de Agosto, em São Paulo, entre os premiados, desfilaram os já citados Fábio Moon e Gabriel Bá, prêmio Destaque internacional, e o Rafael Grampá, prêmio Melhor Desenhista Nacional e Melhor Álbum Especial Nacional.
Como o site oficial do evento anuncia, o Troféu HQMIX é o prêmio mais importante das HQs nacionais, algo parecido com o “Eisner Awards” ou um “Oscar dos Quadrinhos Nacionais”. Nesse evento, no entanto, o acontecimento que mais me interessa é a premiação da produção acadêmica - TCC, mestrado e doudorado. Assumindo uma atitide inovadora, desde sua criação, valoriza produções teóricas referentes ao universo do desenho. Em 2003, no entanto, formalizou-se a opção por observar as reflexões acadêmicas. Segundo as informações do site da HQ Mix, o interesse foi grande e as três categorias foram adotadas.
Na última edição, os vencedores foram:
  1. o TCC "A quarta dimensão do trabalho de Breccia", defendido por Pedro Franz Broering, do curso de Design Gráfico da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis;
  2. a dissertação de mestrado "Considerações sobre sociedade e tecnologia a partir da poética e linguagem dos quadrinhos de Lourenço Mutarelli no período de 1988 a 2006", defendida por Líber Eugenio Paz, do curso de Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, em Curitiba;
  3. a tese de doutorado "O potencial das histórias em quadrinhos na formação de leitores: busca de um contraponto entre os panoramas culturais brasileiro e europeu", defendida por Valéria Aparecida Bari, do curso de Ciências da Informação e Documentação da Universidade de São Paulo.
Essas categorias de premiação são extremamente importantes, pois podem desconstruir o preconceito existente nos institutos acadêmicos - os quais são muito conservadores. Lamento, apenas, que nenhum dos premiados seja da área da LETRAS. Quem sabe, no futuro, eu não receba um prêmio desses?!! (hehe)
Além disso, a presença de Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva, secretária de Educação Básica do MEC e responsável pela área que cuida das listas do PNBE, menciou a polêmica dos quadrinhos nas escolas e enunciou: "Não podemos ceder à pressão de falsos moralismos, de politicamente corretos". Falando nisso, é importante citar o PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola) de 2009. No Ensino Médio e no Ensino Fundamental teremos muitas HQs! Entre elas, teremos duas obras dos Bá - "10 pãezinhos - Meu Coração Não Sei Por quê" e "O Alienista", belíssima transcriação do conto de Machado de Assis.

2 comentários:

Luiz Felipe H. Piccoli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Felipe H. Piccoli disse...

Concordo que nós não possamos ceder as pressões de moralistas disfarçados de politicamente corretos. E fica a pergunta "cú" ainda é um palavrão? Essa singela palavrinha de duas letras que designa um orifício do corpo humano, de forma não pejorativa, segundo este que vos fala, foi a palavra que motivou a polêmica com o livro didático recolhido recentemente e derrubou o secretário de Educação da Bahia, Adeum Sauer, como os mais bem informados devem lembrar.